Blog do Julio Falcão

Setembro 03 2010

publicado por Julio Falcão às 23:46
Tags: ,

Setembro 03 2010

Ironizado por tucano, Dunga afaga Lula e Dilma

PSDB cita exemplo de treinador para criticar falta de experiência de petista

 

Usado como exemplo pela campanha de José Serra no rádio para criticar a falta de experiência da candidata do PT Dilma Rousseff, o ex-treinador da seleção brasileira Dunga respondeu bem ao seu estilo. Em entrevista exclusiva ao DIÁRIO, Dunga rebateu a comparação feita pela campanha de Serra entre ele e Dilma. "O Serra tem experiência. É um craque para governar o Brasil. A Dilma não. É que nem o Dunga. Nunca foi técnico de nenhum time, foi para a seleção e deu no que deu", diz uma pessoa não identificada.

Veja o que diz o ex-técnico da seleção:
Comparação
É só ver os meus resultados e comparar. Quando eu fui campeão da Copa América e da Copa das Confederações, ele me elogiou. Agora crítica. Talvez ele esteja desesperado.

Defeitos
Eu acho que ele deveria assumir os seus defeitos para depois achar defeito nos outros.

Problemas
São Paulo não tem problema? Alaga mais que Veneza, ônibus são incendiados todos os dias.   Só o fato de São Paulo ter decidido na última hora o estádio da Copa já diz tudo. Por que ele está preocupado comigo?

Lula
O Lula também não tinha experiência e tem 80% de popularidade. Ele está fazendo o que os outros não fizeram em cem anos.

Dilma
Dilma é uma mulher e pode  ser a primeira mulher presidente do Brasil.

Democracia
Quando o Brasil precisou da Dilma ela não fugiu, lutou aqui pela democracia. Alguns correram.

Política
Para mim isso é natural (ser citado na propaganda). Se eles falassem o que deixaram de fazer seria melhor para o eleitor escolher.

Fonte: Diário de SP

publicado por Julio Falcão às 17:35
Tags: ,

Setembro 03 2010

Polícia Federal desbarata novo rombo no governo de Yeda Crusius do PSDB

Por Helena
A Polícia Federal está realizando a  Operação Mercari, que investiga possíveis desvios de recursos da área de marketing com prejuízo ao Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul). A PF prendeu o superintendente de marketing do Banrisul, Walney Fehlberg, um representante da agência SL&M, Gilson Stork, e um diretor da DCS, Armando D’Elia Neto.

 

Os três foram presos em flagrante por peculato e lavagem de dinheiro porque durante as buscas em residências e empresas a PF apreendeu dinheiro sem origem identificada. Até o momento, foi recolhido um total de cerca de R$ 2 milhões em poder dos três.

 

A PF cumpriu mandados judiciais de busca e apreensão nas duas agências, no Banrisul e na residência de suspeitos.
PF investiga suposto desvio de dinheiro entre Banrisul e agências de publicidade
A Polícia Federal investiga um esquema de desvio de dinheiro montado dentro do Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul), especificamente na área de marketing do banco. O prejuízo estimado é de mais de R$ 10 milhões no último ano e meio.
Hoje pela manhã, 76 policiais cumpriram 11 mandados de busca e apreensão, sendo dez em Porto Alegre e um em Gravataí, na região metropolitana da capital. A operação foi batizada de Mercari, palavra em latim que, segundo a PF, significa comércio.
Segundo investigações já realizadas conjuntamente pela Polícia Federal, Ministério Público Estadual e Ministério Público de Contas do RS, uma suposta organização criminosa, da qual fazem parte funcionários do banco e diretores de agências de publicidades, superfaturava campanhas de marketing, que eram terceirizadas para outras empresas com preços muito abaixo daqueles pagos pelo banco.
A investigação encontrou indícios de evasão de divisas, ocultação de bens e valores e sonegação fiscal. O Ministério Público de Contas já solicitou ao Tribunal de Contas do Estado que realize uma inspeção no banco.
O Banrisul é uma sociedade de economia mista, com participação do governo do Estado do Rio Grande do Sul Yeda Crusius do PSDB.
Fonte: Os Amigos do Presidente Lula
Obs.: Yeda apoia e é apoiada por Serra.

publicado por Julio Falcão às 00:16
Tags: , ,

Setembro 02 2010

 

"Já disse que tenho nojo de político. Só gosto do Serra, sou apaixonado pelo debate dele. Aliás, acho que Brasília não é o lugar dele, ele tem que ficar aqui, nasci aqui, sou paulista então quero que ele nunca saia daqui". Atella

 

"...tenho nojo de política. Mas eu voto no Serra viu? Sou eleitor dele desde que ele nasceu". Atella

 

"Eu sempre votei no Serra, sou eleitor dele. Eu quero encontrá-lo pessoalmente e lhe dar uma rosa". Atella

 

publicado por Julio Falcão às 00:28

Setembro 01 2010

Além de imbecíl é moleque, babaca, criminoso, leviano, imaturo, criminoso, incompetente, bobão, mentiroso, criminoso,...

 

Lí que a alma dele é mais feia que a cara. Eu acredito!

 

Denunciar sem provas é crime.

 

Lugar de criminoso é na cadeia.

 

O blog Os Amigos do Presidente Lula, de maneira sensata e responsável, coloca ordem nessa bagunça que só interessa a essa corja de golpistas. Vejam:

 

 

Porque Serra e o PSDB estão sendo levianos, golpistas e, provavelmente, cometendo denunciação caluniosa

Por José Augusto

 

José Serra (PSDB/SP) e Alvaro Dias (PSDB/PR) entraram no TSE com ação contra Dilma por "abuso de poder".

Não tem fundamento, será o maior vexame da história, e Serra sairá com menos de 20% nas pesquisas no fim deste episódio. Explico logo abaixo.

Sergio Guerra (PSDB/PE) pede a cabeça do Secretário da Receita Federal, e mostra o quanto age com imbecilidade.

Aos fatos:

Nenhum tucano poderia saber que foram tiradas 2a. via da declaração do IR da filha de Serra em setembro do ano passado (a não ser que o tucano seja o autor oculto da procuração falsificada).

O Brasil só ficou sabendo que acessaram a declaração da filha de Serra no ano passado, porque foi a própria Receita Federal quem apurou o fato no inquérito administrativo, feito de forma absolutamente republicana.

Ou seja, é a Receita Federal, sob o governo republicano do governo Lula, quem, independente do calendário eleitoral, revelou o acesso à declaração da filha de Serra, feito no ano passado, que ninguém sabia, e só ficaram sabendo agora às vésperas das eleições, como resultado da investigação republicana da Receita, apurada e encaminha ao Ministério Público Federal.

E Sérgio Guerra, de forma absolutamente imbecil e infantil, acusa a Receita de estar escondendo uma informação, que só veio ao conhecimento público, porque a Receita apurou.

A declaração de renda da filha de Serra foi acessada por alguma guerra de máfias de fora da Receita, pois só isso justifica fazer uma procuração falsa, falsificando reconhecimento de firma, envolvendo despachantes, para acessar um dado que está na ponta dos dedos dos chefes e funcionários autorizados da Receita Federal.

Denunciação caluniosa de Serra e Álvaro Dias

Ofende a inteligência do povo brasileiro, e dos ministros do TSE, a denúncia de "abuso de poder" atribuída a Dilma.

Houve um crime, uma vez que o cartório confirmou que o reconhecimento de firma é falso. Não há autoria conhecida do crime, até o momento. A Receita, como insituição, também foi vítima deste crime, pois foi enganada com documentos falsos.

Juridicamente, é absurdo Serra apontar o dedo para denunciar Dilma como se ela fosse autora de um crime, cuja autoria é desconhecida. E sem qualquer prova, e quando todas as evidências apontam que Dilma nada tem a ver com isso.

Se fosse assim, qualquer pessoa, que não goste de Serra, poderia dizer que foi o próprio Serra quem forjou essa 2ª via, para colocar culpa na adversária, às vésperas das eleições. Seria como aquelas pessoas que forjam um incêndio na casa, para receber o seguro.

Politicamente é picaretagem e um verdadeiro crime eleitoral, criar denúncias falsas, para acusar pessoas inocentes, e influir nas eleições.

Vamos às evidências:

1) Se Dilma pertencia ao governo, como ministra da Casa Civil, em setembro do ano passado, e fosse cometer abuso de poder, agiria nos bastidores e na cúpula do poder da Receita. Não iria envolver máfias, falsificação de procuração e ainda envolver despachantes autônomos. Para quê? Para se expor, gerar mais testemunhas, e ainda mais de pessoas estranhas?

2) Essa 2ª via da declaração da filha de Serra, ninguém tem notícias do uso dela. Nem de vazamento para a imprensa, o que seria o objetivo de um complô destes. Onde está sequer a materialidade e motivação para as denúncias?

Se fosse verdade o que Serra acusa, levianamente, quem teve acesso à essa declaração teria usado na época, quando Dilma estava bem abaixo nas pesquisas, e interessava ultrapassar Serra.

3) Se Dilma e o governo Lula cometessem abuso de poder, a Receita teria escondido de sua investigação o acesso à declaração da filha de Serra, até porque havia uma procuração que dava suporte legal para a funcionária da Receita acessar.

A Receita fez uma investigação técnica, uma auditoria, sem viés político, o que contradiz a tese de abuso de poder.

Além da picaretagem, a ação de Serra no TSE beira ou ultrapassa os limites da denunciação caluniosa, que é a junção da calúnia com a ação na Justiça com base na calúnia.

publicado por Julio Falcão às 23:36

Agosto 28 2010

publicado por Julio Falcão às 23:27
Tags: , ,

Agosto 28 2010

Serra agora é uma vivandeira de quartéis

É o silêncio dos culpados, é a mente de quem se entregou de corpo e alma, se é que este sujeito tem uma, a tudo o que condenava e criticava antes que a sua ânsia de poder o transformasse numa alma penada.


José Serra, aquele que falou faz dois dias em liberdade de imprensa e nos perigos da censura lulista aos meios de comunicação, exigiu que seu encontro, hoje, no Clube da Aeronáutica, fosse fechado à imprensa.


“A assessoria de imprensa do Clube da Aeronáutica afirmou que o fechamento do evento à imprensa foi a pedido da assessoria do candidato. “Eles estabeleceram as regras do jogo. Eles pediram. Nós queríamos que fosse aberto”, afirmou o assessor do clube, coronel Paulo F. Tavares.”, registrou o IG.

 

Por que, Serra?

 

Foste lá pedir um golpe contra a vontade popular que te repudia e consagra Lula e Dilma? Foste falar do esquerdismo perigoso? Da república sindicalista? Do que os golpistas de 64 usavam contra a legítima expressão eleitoral de um povo que não quer ser escravo das elites a que você agora serve?

 

Você não apenas matou o jovem Serra, seu “Zé” de araque, você pisoteou até a sombra do que você já foi um dia.

 

Vamos ver o que dirão de você os mervais, os jabores, os milleniuns. Vamos ver se a tua censura, se o teu autoritarismo, se os teus golpes baixos, tuas mentiras, tuas favelas falsas, tua sordidez vai merecer uma palavra de condenação.

 

Não vai, Serra, o povo brasileiro já decidiu o teu destino. E é bem quente por lá.

Fonte: Tijolaço

publicado por Julio Falcão às 10:40
Tags:

Agosto 21 2010

Carta Maior: Serra, um caso de Procon ou pior que isso?

Em seu editorial desta sexta-feira (20), o portal Carta Maior apresenta as contradições do candidato Serra, uma candidato de oposição que bem gostaria de ter o apoio (e a popularidade) do presidente Lula.

 

Confira o editorial publicado nesta sexta-feira (20):

"Serra faz propaganda enganosa vendendo uma intimidade política e pessoal com o presidente Lula que ele não tem.

Guinadas sucessivas durante a campanha, às vezes num mesmo dia, não raro em intervalo de horas, já suscitam, até em aliados, a dúvida pertinente: afinal, o que é verdadeiro em José Serra?

De dia, o arestoso tucano acusa o governo Lula de cercear a liberdade de expressão; à noite, o personagem esquivo adula o Presidente da República e esconde FHC, o mandatário a quem serviu durante oito anos.

"Ingrata", diz em relação a adversária que, em raciocínio tortuoso, acusa de menosprezar a obra do governante eclipsado em sua própria campanha, cujo carro-chefe é não olhar o retrovisor.

Seu jingle eleitoral falsifica a voz de cantora famosa; no rádio, falsifica a voz de Lula; a favela onde falsifica popularidade é uma simulação reveladora da visão higienista adotada quando esteve à frente do poder municipal e estadual.

O candidato que incorpora Carlos Lacerda num dia, afirma ter sido elogiado por Brizola no outro; defende a liberdade de imprensa em discurso mas pede cabeças de jornalistas aos patrões pelo telefone.

'Democrático' em auto-elogio, implodiu a própria coligação na obsessiva rotina de centralização das decisões mais comezinhas.

O presidenciável que se propunha a unir o Brasil, agora desqualifica conferencias nacionais da cidadania com a participação ecumênica de milhares de delegados de todo o país.

Serra será apenas um caso de Procon, um oportunista desesperado? Ou um distúrbio de personalidade perigosamente aferrado à idéia de ser o onipotente governante do país?"

Fonte: Vermelho

publicado por Julio Falcão às 23:29
Tags: ,

Agosto 21 2010
publicado por Julio Falcão às 08:20
Tags: ,

Agosto 18 2010

Serra é o candidato Denorex. Parece mas não é

 

Pelo que se viu e ouviu nos primeiros programas de rádio e TV dos candidatos, José Serra passa a ser conhecido como candidato Denorex, aquele que parece mas não é. Serra tenta se apresentar como o candidato da continuidade, com o slogan “depois do Silva entra o Zé”, o que não corresponde à verdade. Busca parecer uma figura popular, o que está longe de ser. E ostenta ser o criador dos genéricos e dos seguro desemprego, o que é mentira. A única coisa verdadeira no programa de Serra é sua ligação com as doenças, característica do hiponcodríaco. E tome hospitais, vacinação, mutirão de saúde. Serra seria um ótimo candidato a ministro da Doença e não da Saúde.

 

Na forçação de barra de parecer popular, Serra usou no programa de rádio dois personagens, Ari, baiano, e Chico, mineiro. Não por acaso, nestes dois estados, Serra está levando uma coça de Dilma. Pois Ari e Chico, dois personagens fictícios que conversam com o “Zé”, não poderiam, em sua simplicidade, estar mais distantes da figura de José Serra, um político sem qualquer identificação com o povo.

 

Serra tenta se passar por Lula, o que é de uma pretensão e de um erro político atroz. Ao dizer que depois do Silva entra o Zé, procura se colocar no mesmo patamar de popularidade e identificação que Lula tem com o povo. Lula é chamado assim por qualquer brasileiro, que tem em relação ao presidente uma profunda identidade. Alguém já viu alguma pessoa, por mais próxima que seja do candidato tucano, chamá-lo de Zé?

Ao descrever sua trajetória, o programa de Serra tenta apresentá-lo como um filho do Brasil, da mesma maneira que o filme que retratou a pungente história de Lula. A origem de Serra é simples, mas as oportunidades que teve o levaram a caminhos muito diferentes do trilhado por Lula, um verdadeiro homem do povo.

 

Seria mais honesto apresentar Serra como ele é. Não é preciso necessariamente ser um homem do povo, como Lula, para ser presidente do Brasil. Basta se apresentar de verdade, como fez Dilma, e amar o país. Aí, sim, residiria o problema de Serra. Como apresentar como alguém que ama o país, uma pessoa que se empenhou tanto, segundo palavras de Fernando Henrique Cardoso, na venda de empresas públicas do Brasil, como a Vale e a Light? Como apresentar um compromisso com o crescimento de alguém que integrou um governo em que o país não crescia? Como apresentar um estadista preocupado com a integração regional com alguém que despreza o Mercosul e os países vizinhos?

 

Deve ter sido para evitar este problema que os marqueteiros de Serra investiram num candidato fictício. Um tal de Zé, que ninguém conhece e jamais viu, e que nada tem a ver com o verdadeiro José Serra, que não é apresentado em momento nenhum.

Fonte: Tijolaço

publicado por Julio Falcão às 00:44
Tags:

mais sobre mim
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29



pesquisar