Blog do Julio Falcão

Julho 28 2009

De acordo com pesquisa feita pela consultoria Ernest & Young, a Petrobras é a oitava maior empresa global por valor de mercado. Quem traz a notícia é a edição de hoje (28/7) do jornal O Estado de São Paulo.


A matéria aponta que o valor de mercado da Petrobras passou de US$ 95,895 bilhões para US$ 164, 818 bilhões, avançando do 37º lugar para a oitava posição no ranking. A Petrobras é a única empresa brasileira entre as dez maiores.


Para ler a matéria “Grupos brasileiros crescem em ranking dos maiores do mundo – Para consultoria, números mostram que empresas do País estão se recuperando mais rápido”, do Estadão, clique aqui
.
publicado por Julio Falcão às 17:07

Julho 20 2009
Atritos com Tasso veem desde malogro de siderúrgica
Autor(es): Cláudia Schuffner e Raquel Ulhôaerúrgica

Suplente na CPI da Petrobras, o que não lhe impede de participar dos debates, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) tem sido um dos mais aguerridos críticos da estatal no mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

As pendengas do senador tucano com a Petrobras neste governo se originaram no malogro da Siderúrgica do Ceará. O projeto não foi adiante porque previa a venda de gás subsidiado para os sócios estrangeiros da Vale, que é minoritária no projeto, tendo ainda renúncia fiscal que a Petrobras calculava em R$ 19 milhões na época. A resistência da área de gás e energia da Petrobras, então liderada pelo petista Ildo Sauer despertou a ira dos cearenses. A tropa-de-choque contra a Petrobras reunia toda a bancada do Estado no Senado - , além de Tasso, Patrícia Saboya (PSB) e Inácio Arruda (PCdoB) - com o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) e seu irmão Cid, governador do Ceará.

Nem a interferência direta de Lula, do então ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, e da ministra-chefe da Casa Civil e presidente do conselho de administração da Petrobras, Dilma Rousseff, conseguiu vencer a resistência da Petrobras, e o episódio foi um dos que contribuíram para a saída de Ildo Sauer da estatal um ano depois. Em uma reunião na sede da Petrobras, no Rio, Gabrielli chegou a atirar seu crachá de presidente em cima da mesa durante uma discussão mais acalorada com Dilma.

As discussões sobre o preço do gás da Ceará Steel conseguiram opor dois membros do conselho de administração da Petrobras, Roger Agnelli (Vale) e Jorge Gerdau Johannpeter (Grupo Gerdau). O projeto foi finalmente engavetado mas o relacionamento deles nunca mais foi o mesmo.

Com o enterro definitivo da refinaria, Tasso acusou Gabrielli de romper o contrato e o chamou de "autoritário" e "tirano". Agora, a bancada dividiu-se. Arruda também é suplente na CPI e atuará na defesa. "A Petrobras mostrou que não era viável fornecer o gás naquelas condições. Reagimos em bloco, porque corríamos o risco de perder a siderúrgica", disse Arruda. Segundo ele, a crise foi contornada por Lula, que interferiu e a siderúrgica agora será a carvão, fornecido pela Vale do Rio Doce. As obras não começaram, mas Arruda está confiante. Além disso, a estatal acabou instalando no Ceará um terminal de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL), uma antiga reivindicação do Estado.

No ano passado, quando a crise econômica atingiu em cheio a Petrobras em momento de dificuldade de caixa, foi Jeressaiti quem denunciou os empréstimos da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco do Brasil (BB). Este ano, foi a vez de o senador se colocar na linha de frente da denúncia da manobra tributária da Petrobras.

Desde a crise da siderúrgica, a cúpula da estatal também armou-se contra o senador cearense. À época do empréstimo da CEF, circulava na empresa a informação de que o senador se movia em represália a empréstimos recusados pelo banco estatal ao grupo La Fonte, de sua família. Nas últimas semanas, acompanhou-se com atenção, na Petrobras, a movimentação da PF na "Operação Luxo" em Fortaleza. Em inquérito que corre sob segredo de justiça, a PF, ao investigar irregularidades na compra de equipamentos de navios pela Petrobras, teria se deparado com compras não-declaradas de Tasso.
Fonte: O Terror do Nordeste

.
publicado por Julio Falcão às 11:17

Julho 10 2009
Fortune: Petrobras salta 29 empresas e é a 34ª do mundo

Apedrejada diariamente pela mídia mercantil de seu próprio país, a Petrobras subiu da 63ª para a 34ª posição entre as 500 empresas de maior faturamento do mundo, no ranking da revista norte-americana Fortune. Pelo critério de lucratividade, a Petrobras apareceu na sexta posição, deixando em sétimo a Microsoft. A crise global provocou profundas mudanças no ranking.


A petroleira estatal foi a única companhia brasileira dentre as 100 maiores do mundo, segundo o levantamento, tendo registrado no ano passado um faturamento de US$ 118,2 bilhões. A segunda colocada brasileira foi o Bradesco, na posição de número 148. Seguiram-se a Itaúsa (controladora do Itaú Unibanco), Banco do Brasil, Vale e Gerdau, nos lugares 149, 174, 205 e 400, respectivamente.


Pelo critério de lucratividade, a Petrobras apareceu na sexta posição, superando gigantes como a Microsoft (7ª), General Electric (8ª), Nestlé (9ª) e Wal-Mart (14ª). Nesse quesito, a mineradora brasileira Vale ficou na 16ª posição.


Petroleiras em alta


A Fortune apontou a gigante anglo-holandesa de petróleo Shell como a líder do ranking, desbancando a rede americana de supermercados Wall Mart. É a primeira vez que uma empresa de fora dos Estados Unidos encabeça a lista, um efeito da crise econômica global, que tem seu centro nos EUA. A Wall Mart caiu para terceira posição, atrás da também petroleira Exxon Mobil, também dos EUA.


Das dez primeiras empresas que formam o ranking, sete são do setor de petróleo. Afora as duas citadas, estão entre as dez mais: BP (Grã-Bretanha, 4º), Chevron (EUA, 5ª), Total (França, 6ª) ConocoPhilips (EUA, 7ª) e Sinopec (China, 9ª). As empresas petrolíferas também lideram o ranking das mais lucrativas do mundo, com seis entre as dez primeiras colocações. Os números da revista se referem a 2008, quando os preços do petróleo sofreram forte elevação.


O boom petroleiro favoreceu também a estatal venezuelana PDVSA – outro desafeto da mídia –, que superou a própria Petrobras, com faturamento de US$ 126 bilhões e em 27º lugar. Entre as petroleiras latino-americanas, a Petrobras ficou em terceiro, atrás da também estatal mexicana Pemex, com US$ 119 bilhões e o 31º lugar.


EUA descem e China sobe


Quanto à participação por país no conjunto da lista das 500 maiores empresas, os EUA recuaram enquanto cresceu a participação da China. Pela primeira vez desde que a Foirtune iniciou o ranking, em 1995, os EUA figuram nele com 140 companhias, embora mantendo a participação mais numerosa. Na edição anterior do ranking, elas eram 153.


Além de figurar pela primeira vez entre as dez mais, com a já citada Cinopec, a China colocou entre as 500 um número sem precedentes, de 37 empresas. Nove delas entraram agora na lista; as que já estavam nele subiram de posição. "A China será a segunda maior economia do mundo em 2025", previu a revista ao comentar os resultados.


A América Latina situou 11 empresas entre as 500 mais: as seis brasileiras, quatro mexicanas e a PDVSA venezuelana, que no entanto aparece como a maior da região em faturamento.
Fonte: Vermelho

.
publicado por Julio Falcão às 07:24

Julho 09 2009
CPI da Petrobras deve apurar Fundação Sarney, diz Virgílio

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio, defendeu nesta quinta-feira,9, que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras investigue a denúncia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo de que a Fundação José Sarney teria desviado para empresas fantasmas e de familiares do peemedebista R$ 500 mil recebidos da Petrobras, a título de patrocínio cultural. "Vamos pedir uma explicação cabal sobre os fatos. Isso precisa ser investigado pelo TCU (Tribunal de Contas da União), Ministério Público (MP) e pela CPI da Petrobras." Para Virgílio, se o processo investigatório não tiver uma solução, "o que acaba é a autoridade dele (Sarney) sobre a Casa". Fonte: Estadao online

Muito bem, senador Virgílio, vamos aproveitar e solicitar à CPI que investigue também o Instituto FHC, afinal, pelo que foi descoberto pelo "O Amigos do Presidente Lula", a verba destinada ao Instituto foi 10 vezes superior e a denúncia é muito mais grave.

Vejam "iFHC gasta 10 vezes mais que Fundação Sarney para fazer a mesma coisa" no blog Os Amigos do Presidente Lula.

.
publicado por Julio Falcão às 21:16

Julho 05 2009
A Petrobras adota critérios mais rígidos para apoiar ONGs em projetos sociais e ambientais

Por Francisco Alves Filho

Não faltam boas intenções à maioria das organizações não governamentais que fazem trabalho social e ambiental no Brasil, mas isso não basta para garantir ações realmente eficazes. A maioria das ONGs tem dificuldade de fechar as contas no final do mês e também não consegue saber se alcançou os objetivos estabelecidos no início dos projetos. Quase sempre por falta de ferramentas de gestão. Para sanar essa deficiência, a Petrobras, empresa com maior volume de patrocínios sociais e ambientais do País, a partir do próximo edital, somente apoiará projetos que provarem sua eficiência por meio dos parâmetros do Project Management Institute, uma referência mundial em técnicas de gerenciamento. O primeiro passo nessa direção é o workshop para capacitação dos responsáveis pelas entidades, que será ministrado já este mês. "Vamos propiciar um salto de qualidade no processo de gestão das instituições parceiras", avalia Luis Fernando Néry, gerente de Responsabilidade Social da Petrobras. Só serão aprovados projetos que se adequarem às metas fixadas pela empresa. "Para nós, o investimento social é estratégico. Por isso usamos ferramentas de gestão semelhantes às do modelo empresarial", explica Nery.

O planejamento plurianual da Petrobras prevê um investimento de R$ 1,3 bilhão para a área social e R$ 500 milhões para os projetos ambientais, entre 2007 e 2012.

No social, a Petrobras escolheu investir em projetos que, além de priorizar a juventude, gerando oportunidade de trabalho e qualificação profissional, também garantam os direitos das crianças e dos adolescentes.

A empresa pretende fortalecer a organização social e difundir informações úteis à cidadania. Nessa linha, espera criar dez mil postos de trabalho, garantir a elevação de renda de 60% dos participantes dos projetos sociais e obter 80% de conclusão nos cursos profissionalizantes.

"Teremos metas claras para monitorar cada projeto apoiado", diz Janice Dias, gerente de programas sociais da empresa. Nos patrocínios ambientais, alguns objetivos são recuperar 50% dos habitats aquáticos ameaçados e melhorar a qualidade de 80% da rede hídrica atendida (rios, lagos, lagoas, etc.). "Nosso novo foco é o clima, e até 2012 vamos investir bastante nessa área", afirma Rosane Aguiar, gerente de programas ambientais.

As novidades foram bem recebidas pelas ONGs apoiadas pela Petrobras. "As instituições precisam passar por esse aperfeiçoamento", diz Márcia Engel, diretorapresidente do Instituto Baleia Jubarte, na Bahia, que tem o apoio da empresa.

"Planejamento é sempre útil. Temos resultados para mostrar e quanto mais pudermos mesurar isso, melhor."
Fonte: Istoé Independente

.

publicado por Julio Falcão às 12:39

Julho 04 2009
O Blog da Petrobras está de cara nova.

Click Aqui para acessar


.

publicado por Julio Falcão às 14:59

Junho 27 2009
Foto: Roosewelt Pinheiro/ABr

Gabrielli diz que Petrobras está pronta para 'vale-tudo'

Em entrevista exclusiva ao Estado na noite de sexta-feira, na sede da empresa, Gabrielli citou os maiores jornais e revistas do País como participantes de uma espécie de ciranda, na qual parlamentares de oposição alimentariam de denúncias a imprensa para depois reproduzir as acusações no Congresso, pedindo inclusão na CPI. “Será que há algum esquema de criação de fatos artificiais?”, indaga, para emendar em seguida com a resposta: “Não há dúvida.”

Para o presidente da Petrobras, o ambiente de instalação da CPI estaria imerso numa espécie de “vale-tudo” e avisa que está preparado para embarcar no jogo: “Nós estamos preparados para um vale-tudo! Nós estamos preparados. Nós não atacamos ninguém ainda. Só temos nos defendido.” E arremata: “O ataque também faz parte da defesa”.
Fonte: Estadao

(Grifo em vermelho do blog)

Leiam a matéria completa Aqui.

.
publicado por Julio Falcão às 21:12

Junho 20 2009
Fonte: Rede Brasil Atual
Por: João Peres


Foto: Dino Santos. CUT

Ato contra CPI da Petrobras pede valorização da estatal

Manifestação faz parte de série de eventos promovidos pelo país contra tentativa da oposição no Congresso de investigar a empresa

Sindicalistas e movimentos sociais estiveram reunidos nesta sexta-feira (19) na Avenida Paulista, em São Paulo, para opor-se à criação da CPI da Petrobras planejada por PSDB e Dem.

João Antonio de Moraes, coordenador nacional da Federação Única dos Petroleiros (FUP), considera que a oposição deu um tiro no pé ao propor a comissão e agora atos em todo o Brasil ocorrem em defesa da estatal.

O mais importante, para a categoria, em conjunto com a Central Única dos Trabalhadores (CUT), é aproveitar a ocasião para discutir um novo marco regulatório do petróleo prevendo que a exploração seja feita unicamente pelo Estado, sem participação privada. “A CPI tem um componente eleitoral forte, mas a importância do marco regulatório, a riqueza do pré-sal sustenta alguns mandatos de presidente”, afirma Moraes, que acrescenta que a tentativa da oposição é colocar o país na crise.

Mas, para ele, tucanos e democratas não conseguiram o objetivo almejado e, agora, estão intimidados diante da reação da população.

Sobre a possibilidade de criação de uma nova estatal apenas para cuidar dos negócios do pré-sal, a FUP opõe-se, apesar de não considerar essa a questão central. “A Petrobras tem um apelo social muito forte, uma presença grande no imaginário do povo brasileiro e não pode ficar suscetível a ataques. Criar uma nova empresa é ruim por isso. Imagine uma estatal com tanto dinheiro e tanto poder na mão, mas sem o peso social da Petrobras. Nessas denúncias agora da CPI, estaria acabada”, afirma Moraes.

.
publicado por Julio Falcão às 01:59

Junho 17 2009
Agência Brasil

Petrobras vai investir US$ 174 bilhões até 2013

Brasília - A Petrobras vai investir US$ 174 bilhões até 2013, sendo 91% dos recursos destinados ao Brasil. Os números foram apresentados hoje (17) pelo gerente executivo de Estratégia Empresarial da empresa, Celso Fernando Lucchesi, durante seminário sobre o papel das empresas estatais na crise econômica, no Ministério do Planejamento.

De acordo com Lucchesi, esses investimentos vão gerar demanda de mais de 240 mil novos empregados para a empresa. Ele informou que uma parte será treinada pela Petrobras e outra, buscada em indústrias e em outros setores cujo trabalho já atenda à necessidade da empresa.

“Nós vamos ao mercado contratar serviços para construir refinarias, unidades de produção, sondas, dutos. Pelo cálculo, nós vamos precisar de 243 mil pessoas, além das que já temos, para atender a essa demanda”, explicou.

Cerca de 60% do valor a ser investido será em exploração e produção – o que já inclui os investimentos iniciais na camada pré-sal. “Daqui até 2020 serão investidos US$ 111 bilhões no pré-sal. É que esse plano que estamos apresentando vai até 2013, e o pré-sal deve começar a tomar fôlego depois de 2013”, disse Lucchesi.

Os 40% restantes serão repartidos entre refino, petroquímica, gás e energia, biocombustíveis e investimentos internacionais.
(grifo em vermelho do blog)

.
publicado por Julio Falcão às 18:51

Junho 13 2009
O blog da Petrobras, Fatos e Dados, deixou os grandes veículos de comunicação com cara de trouxas, mostrou, entre outras coisas, que a ética entre eles não anda lá essas coisas. Com medo de que seus "furos" jornalísticos sejam roubados pelos co-irmãos, abriram guerra contra o blog. A Folha quis saber de seus leitores o que achavam do blog e o resultado foi desanimador para ela. Vejam como está o "placar" até o momento:

Click na imagem para ampliar


.
publicado por Julio Falcão às 16:46

mais sobre mim
Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
19
21
22
23

24
25
26
27
28
29



pesquisar