Blog do Julio Falcão

Junho 30 2009
Fonte: Agência Brasil

Lula defende parceria com países ricos para desenvolvimento de países africanos

Brasília - O presidente Lula defendeu hoje (30) a parceria com os países ricos em prol do desenvolvimento africano ao chegar à Líbia para participar, como convidado de honra, da 13ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA). “A África não quer ser mais colonizada e essa tem sido a discussão que tenho feito com os países mais ricos da Europa e com os Estados Unidos. O Brasil está disposto a construir parcerias para investimentos no continente africano, seja com a UE seja com os Estados Unidos”, afirmou.

Lula citou as iniciativas de cooperação do Brasil com os países africanos, como a instalação de um escritório da Embrapa em Gana, a futura inauguração de uma fábrica de medicamentos em Moçambique, os projetos de produção de biocombustíveis e ainda as iniciativas de capacitação profissional em países de língua portuguesa.

“Se o mundo desenvolvido quiser mudar a face de pobreza da África não é dar dinheiro, é construir projetos de parceria para o desenvolvimento e o próprio mundo rico comprar as coisas que são produzidas a nível de biocombustíveis no continente africano”, disse.

Lula falou, ainda, sobre a dívida histórica que o Brasil, os Estados Unidos e a União Européia têm com o Continente Africano. “A dívida que nós temos é impagável do ponto de vista econômico, do ponto de vista financeiro, mas ela pode ser paga com solidariedade, com os investimentos em projetos de desenvolvimento para que a gente veja a África crescer, se desenvolver, gerar empregos e garantir o fortalecimento da democracia e o fortalecimento de um regime de paz em todo o continente”, afirmou.

O presidente também ressaltou o potencial comercial da aproximação com o Continente Africano, lembrando que desde 2002 as trocas comerciais entre as duas regiões cresceram cinco vezes, totalizando US$ 26 bilhões em 2008.

Durante a Cúpula da União Africana (UA), que começa amanhã (1º) na cidade de Sirte, o Brasil e a África assinarão três ajustes complementares a um acordo de cooperação técnica. Um deles prevê a extensão, para mais países da UA, da fazenda-modelo montada pelo Brasil em Mali. Há também previsão de cooperação agrícola em áreas como a de capacitação de pequenos agricultores e técnicas de comercialização e acesso a mercados e ainda em áreas de desenvolvimento social.

Quanto ao potencial de cooperação com a Líbia, Lula disse que interessa ao Brasil investir no país e também receber os investimentos líbios. Ele citou a crescente aproximação entre os dois países. “Vocês estão vendo o aeroporto sendo construído por empresas brasileiras. e vão ver rodovias sendo construídas por empresas brasileiras. Nós saímos de um fluxo de balança comercial de US$ 36 milhões US$ 1,7 bilhão. O potencial de crescimento é muito grande”, afirmou.

(Comentário do blog: Alguém viu o JN hoje? Click Aqui para assistir a mais uma demonstração de mau caratismo)

.
publicado por Julio Falcão às 23:14
Tags:

Junho 30 2009
Para Sérgio Guerra, Sarney já não preside o Senado

Brasília - O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), afirmou hoje que o senador José Sarney (PMDB-AP) já não preside mais de fato o Senado, depois da crise que se instalou na Casa e da posição dos partidos pedindo o afastamento do peemedebista. "A grande tragédia do dia de hoje é que não temos mais presidente no Senado", disse Guerra. Sarney aparece entre parlamentares beneficiados por atos secretos na Casa. Além disso, o esquema de crédito consignado no Senado, alvo de investigação da Polícia Federal (PF), inclui entre seus operadores José Adriano Cordeiro Sarney, neto do peemedebista.

No plenário, o presidente tucano relatou que procurou Sarney lhe propondo que formasse uma comissão para, ao longo dos próximos dois meses, tomasse medidas para recuperar a instituição. A comissão teria autoridade para tomar as medidas que fossem necessárias. "Seria uma transição desse momento para um momento novo. Fora disso, é o imprescindível o que vai acontecer", disse. "Já se estabeleceu de fato que o presidente Sarney não preside o Senado nesse momento."

O discurso de Guerra provocou mais discussão no plenário. O primeiro vice-presidente, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), que preside a sessão, protestou. Ele afirmou ter condições para colaborar com as mudanças que precisam ser feitas na Casa. "Não gostaria de ser diminuído", disse o vice-presidente do Senado.
Fonte: Agência Estado - 30 de junho de 2009 - 18h19

(Comentário do blog: Essa corja do PSDB fica posando de ética, mas se esquece que a maioria deles está envolvida da mesma maneira que o Sarney. Se procurar bem, poderá se constatar que não é só o Arthur Virgílio que se aproveitou dos famosos atos secretos. Cara de pau é pouco para esses picaretas, estão loucos e desesperados para colocar o Marconi Perillo no lugar do Sarney e, assim, satisfazer a vontade do Serra)

.


publicado por Julio Falcão às 18:50
Tags:

Junho 30 2009
.


.
publicado por Julio Falcão às 16:11
Tags:

Junho 30 2009
.


.
publicado por Julio Falcão às 12:14
Tags: ,

Junho 30 2009
Fonte: Agência Brasil

Índice de Confiança da Indústria chega ao mais alto patamar desde outubro de 2008

São Paulo - O Índice de Confiança da Indústria (ICI) medido pela Fundação Getulio Vargas aumentou 4,8% em junho de 2009, ao passar de 89,5 para 93,8 pontos, o maior nível registrado desde o mês de outubro de 2008, quando o ICI chegou a 104,4 pontos. Com relação a junho de 2008 houve queda de 21,3%. Em maio a elevação foi de 5,3% ante o mês anterior.

O resultado de junho confirma as previsões de recuperação da indústria no primeiro trimestre do ano e indica que essa recuperação está sendo lenta e ocorre principalmente no segmento de transporte. A pesquisa destaca a normalização dos estoques e mostra que 12,4% disseram estar com estoques altos ante os 12,4% do mês anterior. Já 5,9% das empresas que responderam às perguntas estão com estoque insuficiente, ante as 3,3% de maio.

A pesquisa mostra ainda que dos 1.062 empresários consultados, 34,7% esperam melhora e 27,4%, piora da situação dos negócios nos seis meses seguintes. No mês passado, esses percentuais haviam sido de 25,9% e 27,1%, respectivamente.

.
publicado por Julio Falcão às 11:11
Tags:

Junho 30 2009
Em artigo, o líder do PT na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (SP) analisa a história recente do país e o Governo Lula, que promoveu um salto de qualidade ao país. “Quando Lula assumiu a Presidência da República, a estabilidade da economia e o poder de compra da moeda estavam por um fio. Foi a política econômica do governo de Lula e do PT que salvou o Real da ruína e deu o salto de qualidade de que o País precisava”.


Lula, o PT e a estabilização da economia

Cândido Vaccarezza

A história recente do Brasil divide-se em dois períodos distintos. Nos anos 90, a década perdida de Fernando Collor a Fernando Henrique Cardoso, que se notabilizaram pela fúria privatizante neoliberal, pela insistência na desqualificação do papel do Estado, pela subserviência aos grandes centros do capitalismo internacional.

A partir de 2003, com o mandato do presidente Lula, nossa política econômica, nossa visão do Estado, do mercado, nossas política sociais e externa permitiram que se abrisse um novo período histórico.

Quando Lula assumiu a Presidência da República, a estabilidade da economia e o poder de compra da moeda estavam por um fio. Foi a política econômica do governo de Lula e do PT que salvou o Real da ruína e deu o salto de qualidade de que o País precisava.

Libertamo-nos do endividamento externo e da dependência do FMI; a dívida pública caiu de 56% para 36% do Produto Interno Bruto; ampliamos o comércio exterior e as reservas monetárias do País; investimos na criação de um forte mercado interno.

O novo modelo econômico - significativamente diferente da gestão tucana - garantiu ao País condições de atravessar a crise mundial com mais vigor. O crescimento econômico, com distribuição de renda e criação de empregos, permitiu a redução na vulnerabilidade do Brasil e tirou milhões de pessoas da miséria, promovendo a inclusão e a cidadania.

Apesar de todo o trabalho dos últimos seis anos, os tucanos insistem em propagar uma lenda segundo a qual o governo FHC estabilizou a economia brasileira. Nada mais falso. Essa lenda, como toda lenda, não resiste à análise dos fatos.

Inflação - A inflação de 2002, último ano da era FHC, chegou a 12,5%. Isto está longe de ser uma inflação civilizada. No dia da posse de Lula, as reservas cambiais do Brasil eram de 30 bilhões de dólares. Mas eram falsas, tratava-se de dinheiro alugado ao Fundo Monetário Internacional. Mais tarde, o presidente Lula devolveria estes recursos ao FMI. Hoje, as reservas cambiais do País estão em torno de 205 bilhões de dólares e somos credores do FMI.

No dia da posse de Lula, o valor do dólar aproximava-se dos R$ 4 e o risco-país beirava os 2.400 pontos. Hoje, o dólar vale R$ 2 e o risco-país gira em torno dos 240 pontos. No dia 1º de janeiro de 2003, a taxa básica de juros, a Selic, era de 25%; hoje ela é de 9,25%, a mais baixa da série histórica dos últimos 20 anos.

Os tucanos gostam de dizer que introduziram o câmbio flutuante. É mentira. A política do PSDB era uma política insustentável de câmbio administrado, o chamado “populismo cambial”, feliz expressão cunhada pelo tucano Bresser Pereira. Em janeiro de 1999, o mercado impôs a FHC a política de câmbio flutuante, apesar de o governo ter tentado um sistema de bandas de variações, na base do “Deus nos acuda”.

A desvalorização do Real naquele momento foi imposta, mas não precisava ser vazada; como foi, pelo menos no entendimento da Justiça, que, em primeira instância, condenou o então presidente do Banco Central Francisco Lopes a dez anos de prisão pelo socorro ao banco Marka, de Salvatore Cacciola, atualmente cumprindo pena numa penitenciária do Rio de Janeiro, depois de ser extraditado de Mônaco.

Os fatos demonstram que, na verdade, em 2003 a economia brasileira nada tinha de estável. Pelo contrário, ela tangenciava a catástrofe. E o governo FHC pedia socorro ao FMI. Os fatos mostram de forma cabal que a estabilidade da economia foi uma conquista do governo Lula. Esta é a verdade. O resto é lenda.
Fonte: Informes PT

.
publicado por Julio Falcão às 09:48
Tags:

Junho 30 2009
Fonte: Agência Estado
30 de junho de 2009 - 08h45


Pedágio nas estradas paulistas aumenta amanhã

São Paulo - A partir de amanhã, rodar pelas estradas paulistas ficará mais caro. Os valores dos pedágios serão reajustados, conforme contrato entre o governo do Estado e as concessionárias. Os reajustes variam de 3,64% a 5,19%. Descer para a Baixada Santista pelo Sistema Anchieta-Imigrantes vai custar R$ 17,80. Antes era R$ 17. Já o pedágio na Rodovia dos Bandeirantes passará dos atuais R$ 5,90 para R$ 6,10 e na Castelo Branco de R$ 10,80 para R$ 11,20.

Os índices foram divulgados ontem pela Agência Reguladora de Serviços Públicos de Transporte no Estado de São Paulo (Artesp). O índice de 3,64% vale para as empresas que têm contratos de concessão assinados entre 1998 e 2000. Os 5,19% são referentes aos novos contratos originados na segunda etapa do Programa de Concessões Rodoviárias.

Recém-concedida, a D. Pedro I vai passar de R$ 8,60 para R$ 9. E o Sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto passará de um total de R$ 16 divididos em quatro praças de cobrança para R$ 16,80. Nas três rodovias está prevista a construção de praças de pedágio bidirecionais. No trecho oeste do Rodoanel, a tarifa passa de R$ 1,20 para R$ 1,30, aumento de 8,33%.

De acordo com a Artesp, o arredondamento do cálculo dos centavos permitiu a 63% das praças de pedágio reajustar as tarifas abaixo do índice aplicado. O cálculo de cada trecho de cobertura de pedágio, que é multiplicado pelo valor da tarifa quilométrica, possibilitou a manutenção dos atuais valores em quatro praças de cobrança: Diadema e Eldorado, na Rodovia dos Imigrantes; Sorocaba, na SP-075, e em Rio Claro, na SP-191.

.
publicado por Julio Falcão às 09:16
Tags: ,

Junho 30 2009
Fonte: JB online

Heráclito emprega assessor que faz lobby em convênios

BRASÍLIA - O senador Heráclito Fortes (DEM-PI), primeiro-secretário do Senado, emprega um assessor que também faz lobby por uma empresa especializada em intermediar convênios de prefeituras do Piauí com a União. Os contratos da Planacon Planejamento e Assessoria de Projetos Técnicos, de Teresina (PI), com o governo federal subiram de R$ 153 mil em 2005 para R$ 1,89 milhão nos seis primeiros meses do ano. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Alcides Gomes Muniz Filho é assessor do gabinete pessoal de Heráclito desde 2003. Ele confirma que já representou a empresa pelo menos três vezes em Brasília. Em uma delas, em 13 de fevereiro, Muniz Filho participou da entrega das propostas para uma concorrência de saneamento, na sede da Companhia do Desenvolvimento do Vale do São Francisco. Ele disse ter agido em nome da empresa por amizade ao dono, Odivaldo Mendes Viana.

A Planacon atua em parceria com prefeituras na preparação de convênios com diversos ministérios e na prestação de contas. Também participa de licitações federais para supervisionar a execução de obras.

Leiam a matéria completa Aqui.

.
publicado por Julio Falcão às 09:11
Tags: ,

Junho 30 2009
Fonte: Agência Estado
30 de junho de 2009 - 07h52

Lula vai à África buscar negócios e prestigiar Kadafi

São Paulo - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chega hoje a Trípoli, na Líbia, na véspera de sua participação na Cúpula da União Africana, a reunião dos chefes de Estado e de governo de 53 países do continente. Ao lado do secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, Lula é uma das atrações do evento, preparado pelo ditador líbio Muammar Kadafi para promover a si mesmo e a seus planos de unificação africana.

O objetivo de Lula em Sirte (terra natal de Kadafi) será, mais uma vez - o presidente já esteve dez vezes no continente em seus dois mandatos -, estreitar relações econômicas, estipulando parcerias comerciais e acordos de cooperação que possibilitem ampliar as trocas comerciais, avaliadas em US$ 26 bilhões em 2008, diante de US$ 5 bilhões em 2003. Um deles, com caráter quase simbólico, será a parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o governo de Mali para a produção de algodão.

Os mais relevantes para os interesses brasileiros, contudo, têm a ver com a produção de biocombustíveis, uma bandeira pessoal do presidente brasileiro. Lula será um dos líderes políticos a discursar na abertura do evento, que ocorrerá em um centro construído especialmente, em Sirte, cidade situada entre o deserto e o Mar Mediterrâneo. De acordo com o porta-voz do Planalto, Marcelo Baumbach, o presidente ressaltará em sua fala o “compromisso brasileiro de longo prazo com o desenvolvimento da África”, além de propor à União Africana uma “aliança energética e agrícola”.


Simpatia

O governo brasileiro conta com a simpatia dos africanos para ampliar sua fatia no mercado do continente. Em comunicado oficial, a direção da União Africana afirmou que “o convite é um reconhecimento à particular atenção que o presidente Lula dirigiu às relações entre o Brasil e a África”. Além disso, o chefe de Estado brasileiro empresta seu prestígio internacional à cúpula. Até aqui, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, é o único peso pesado confirmado.


Reinserção

A garantia da participação do presidente brasileiro também conta a favor de Kadafi, eleito em fevereiro para exercer por um ano o cargo de presidente da União Africana. Há 10 anos, o líder líbio vem tentando se reinserir na comunidade internacional, após ter admitido a participação de agentes secretos do país em atentados terroristas, como o que derrubou um avião em Lockerbie, na Escócia, nos anos 80, e ter renunciado à produção de armas nucleares.

Nos anos 2000, Kadafi tenta forjar uma imagem de líder dos líderes africanos ou “rei dos reis da tradição da África”, como se autoproclama. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

.
publicado por Julio Falcão às 08:54
Tags:

Junho 30 2009
Serra tira dinheiro das empresas e provoca desemprego em SP.



.
publicado por Julio Falcão às 00:16
Tags: ,

mais sobre mim
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


22
23
24



pesquisar