Blog do Julio Falcão

Novembro 05 2009
Barbosa desmente Azeredo e diz que recibo já constava de denúncia da Procuradoria

MÁRCIO FALCÃO

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, rebateu nesta quinta-feira o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), e sustentou que consta na denúncia do Ministério Público Federal um recibo de R$ 4,5 milhões que teria sido assinado pelo tucano para honrar compromissos diversos com as agências de publicidade de Marcos Valério, que ficou conhecido como operador do mensalão.

Barbosa disse que o recibo consta no processo assinado pelo ex-procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que acusa o tucano de peculato e lavagem de dinheiro por envolvimento em suposto esquema de arrecadação ilegal de recursos durante a campanha a governador de 1998, que ficou conhecido como mensalão mineiro.

"O que eu tinha a dizer sobre isso, falei ontem. Não há uma única palavra na defesa do acusado sobre esse recibo de R$ 4,5 milhões. Esse recibo de R$ 4,5 milhões consta na denúncia e a defesa silenciou completamente sobre ele", disse.

A Folha Online encontrou na página 34 da denúncia uma referência ao recibo, indicando que o documento estaria disponível nos anexos. Azeredo acusou nesta quinta-feira o relator do caso, ministro Joaquim Barbosa de ter inserido o recibo na denúncia.

Defesa de Azeredo vai questionar no STF voto de relator
Entenda como teria funcionado o esquema do mensalão mineiro
Veja quem é quem no caso do mensalão mineiro

O tucano afirmou ainda que o recibo que foi entregue ao publicitário Marco Valério era falso. Barbosa não entrou no mérito se o recibo era falso ou não.

"Em meio às peças de acusação, o ministro colocou um recibo de incríveis R$ 4,5 milhões. Esse recibo sequer foi mencionado na ação da Procuradoria. É um recibo falso que nunca foi assinado por mim. Ele tem um erro grosseiro de português que fez com que em janeiro de 2007 eu fizesse uma denúncia na Polícia de Minas Gerais contra um lobista. Isso me traz indignação porque não é possível que isso seja colocado como prova. Um recibo falso,que nunca assinei e com erros grosseiros", disse o senador.

Após a declaração do ministro, Azeredo disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que o recibo é citado na denúncia apenas como uma peça entregue por um depoente do processo, mas não é considerado pela Procuradoria da República como prova.

Ontem, durante a leitura de seu voto, Barbosa disse que o recibo reforçava os indícios de que Azeredo estava envolvido no suposto esquema de arrecadação ilegal de recursos para sua campanha de reeleição.

"Ele [Azeredo] recebeu dinheiro para saldar compromissos diversos um montante de R$ 4,5 milhões em plena campanha. O recibo assinado pelo acusado Eduardo Azeredo. A defesa nada alegou sobre esse documento. Não há na defesa uma única palavra sobre esse documento, sobre esse recibo de R$ 4,5 milhões, citado expressamente na denúncia", afirmou.
Fonte: Folha online

.
publicado por Julio Falcão às 20:18
Tags: ,

mais sobre mim
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11

17
20

22
24
25
26
27

30


pesquisar